O contributo de ferramentas digitais nas aprendizagens do Português (2.º CEB)

AÇÃO EM CURSO NOVO CRONOGRAMA BREVEMENTE Formadores: Filomena Viegas & Teresa Monteiro Modalidade: Curso / formação a distância Número de horas: 12 horas síncronas + 13 horas assíncronas Destinatários: Professores dos Grupos  200, 210, 220 (N.º 1 do Art. 8.º e Art. 9.º do RJFCP) Datas e horários: 16 e 18 de janeiro 2024 (17:30-20:00); 23 e 25 de janeiro 2024 (17:30-19:30); 30 de janeiro 2024 (17:30-20:30)

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-113671/22
Área de Formação: G- Tecnologias da informação e comunicação aplicadas a didáticas específicas
Custo da ação: sócia(o)s APP: 30€; não sócia(o)s: 60€
Número máximo de inscritos: 20 (prioridade a sócios APP)


Objetivos:

– Proporcionar momentos de autoaprendizagem através da experimentação de ferramentas e aplicativos digitais que contribuam para as aprendizagens de português;
– Planear atividades de acordo com os documentos de referência para o ensino e a aprendizagem do Português;
– Criar, aplicar e monitorizar dinâmicas pedagógicas em contexto letivo, através de roteiro de atividades;
– Refletir acerca das potencialidades do uso de ferramentas digitais nas aprendizagens do Português;
– Estimular a criação de redes de partilha de conhecimento, através da avaliação por pares de propostas de trabalho.

Conteúdos:

– Construção de atividades didáticas em diferentes domínios do Português, com recurso a ferramentas digitais (Vocaroo – e.g. expressão e compreensão do oral; TedEd, e.g. escrita, leitura; formulários Google e.g. gramática; MakerRubric – rubricas de avaliação);
– Adequação de ferramentas e aplicações digitais disponíveis na Internet para o desenvolvimento de aprendizagens essenciais em diferentes domínios do Português;
– Conceção e experimentação de atividades a partir de três questões na escolha da(s) ferramenta(s): Que aprendizagem/ens essencial/ais se quer desenvolver? Que potencialidades  motivacionais e didáticas oferece a ferramenta selecionada? Que resultados de aprendizagem se esperam?

Metodologia e estratégias:

Preveem-se dois momentos no desenvolvimento da ação: o primeiro, de caráter teórico que contextualiza as potencialidades didáticas das ferramentas digitais; o segundo, de cariz prático, reporta-se à construção de propostas de trabalho a partir da criação de roteiros, com referência ao PASEO e às AE de Português do 2.º ciclo do EB.
A avaliação a distância implica a participação nas atividades individuais e no trabalho colaborativo realizados na plataforma Moodle. Das 25 horas previstas, 12 serão de comunicação síncrona, através da utilização de chat e videoconferência, para trabalho colaborativo, 13 de comunicação assíncrona, realizadas individualmente e em grupo, para discussão de dúvidas, em Fórum, trabalho oficinal de análise e realização de atividades, produção de comentários a textos, resposta a questionário de avaliação da ação e elaboração de apreciação crítica individual da ação de formação.

Bibliografia fundamental:

– Moreira, J. A. e Monteiro, A. (2012). Ensinar e Aprender Online com Tecnologias Digitais. Abordagens teóricas e metodológicas. Porto Editora.
APP para dispositivos móveis: manual para professores formadores e bibliotecários. Ministério da Educação, Direção Geral de Educação.
– Pinheiro, C. (coordenador interconcelhio da Rede de Bibliotecas Escolares), (s/d). Linha de leitura, 200 ferramentas digitais para a educação (acessível a partir de https://linhadeleitura.wordpress.com/about/).
– MEC (2018). Aprendizagens Essenciais de Português, 2º ciclo (acessível a partir de https://www.dge.mec.pt/aprendizagens-essenciais-ensino-basico).